camerahot babuh ruivinha

Hora da Camgirl Babuh Ruivinha do CameraHot

Com fogo da cabeça aos pés, as ruivas são preferidas de muitos caras. Entre o seleto grupo de gostosas, a Babuh Ruivinha do CameraHot se destaca com toda vontade de uma putaria cosmopolita.

 

Então, cola nessa pele avermelhadinha com as fotos exclusivas e nos segredos que ela contou.

CAMGIRL DO CAMERAHOT: BABUH RUIVINHA

 

 

A novinha de 23 anos tem rosto delicado, mas os olhos de mel e a pepeca cor de cobre não mentem quanto é safada. Tá ligado aquela história de “carpê combina com a cortina”? Babuh é a prova viva disso!

 

Bem pimentinha, ela também separou algumas fotos na cozinha e na sala para acompanhar a entrevista. Provocando assim ela acaba levando ali na mesa mesmo.

 

 

O que mais curte de fato de ser Camgirl?

 

Eu amo a ideia de conhecer pessoas novas, culturas, gostos, fetiches, diferentes. Adoro essa sensação de putaria cosmopolita. A ideia de todo dia ter uma pessoa nova, diferente, expande sua imaginação. Me excita demais. Só consigo realizar isso sendo uma camgirl. Cada dia que estou online sinto um frio na barriga enorme, quem será vai aparecer lá? As histórias que vou ouvir, os fetiches que vou conhecer. Adoro conversar sobre futebol, cerveja, tatuagens, motos e putarias. É realmente delicioso tudo.

 

O que mudou na sua vida depois que se tornou Camgirl?

 

Principalmente a aceitar e entender o desejo e o tesão de cada um. Aceito e entendo todos os desejos sem preconceito algum. Tem muita gente que chega em mim e diz: Olha, Babuh, eu tenho tesão em uma coisa, me sinto um louco porque acho que ninguém pira nisso. Mas posso dizer com toda certeza que não há no mundo algo que seja considerado como louco, anormal. Entendo muito que cada corpo e cabeça, funciona de formas diferente. O que pode ser totalmente bizarro pra uns, pra mim é super normal. Hoje em dia não tenho mais pudores ou limites.

 

 

Quais fantasias sexuais você já realizou no CameraHot?

 

Olha, foram várias! Algumas que eu jamais pensei em passar pela minha cabeça! Tanto minhas como dos usuários. Muitos deles tem fetiche em comer a namorada ou a esposa enquanto eu olho e me masturbo. Descobri que isso me dá muito tesão! Por ter um lado BEM passiva nunca imaginei que ia curtir tanto inversão. São histórias gostosas que dariam ótimos contos eróticos, como em uma sexta a noite que quatro homens entraram no chat. Eram amigos com seus 20 e poucos anos, tavam todos bêbados e eu fiquei louca. Me imaginei curtindo com eles, trepando em um bacanal delicioso. Super recomendo, meninos!

 

Que fetiches deseja realizar ainda no site?

Ainda não fiz nenhum GoldShow no CameraHot, queria alguém na minha cidade para realizar um show duplo e bem gostoso. Sou bi e me fantasio sempre com algumas camgirls do site, realizar isso seria incrível. Vocês têm alguma sugestão? Estou aceitando. (kkkkk)

 

 

O que um usuário pode esperar quando entrar em sua sala e fechar atendimento?

 

Que com toda certeza ele vai ter muito prazer, porque meu tesão é dar prazer. Gosto de analisar, de sentir, de entender a pessoa que está ali. É como se fosse um chamado pro prazer. A pessoa tivesse me chamando pra ter uma experiência deliciosa e olha que nem sempre falamos de sexo, mas de sentir prazer mesmo Tenho certeza que faço da melhor forma para que a pessoa sempre retorne, seja pra uma rapidinha, apenas uma conversa, ou pra gozar muito de ficar tremendo. (KKK) De qualquer forma, não irá se arrepender!

 

 

Quer ter essa novinha? Só encontrar a Babuh Ruivinha no CameraHot, além de muitas outras como a Camilinha e Jillian que já mostramos aqui.

 

O Spartano

Publicitário workholic, carnívoro desde que nasceu, curte a vida a La Rock’n’Roll, pai e marido (infiel), suspeita que tenha algum tipo de problema vinculado a sexo, acorda de pau duro, fica duro no trabalho num simples rebolar de sua secretária piriguete e dorme duro, pois sua esposa não dá pra ele de noite! Ainda assim acredita no amor, mas principalmente nas GPs que são a salvação da humanidade masculina em tempos onde a DR é mais importante do que o sexo.