Um Natal Diferente!

Natal é uma época do ano que me traz diversas lembranças boas, em especial o Natal de 2005, quando tinha 18 anos e transei com a minha tia. Bom, era pra ser mais um típico natal em família. Minha mãe estava o dia inteiro se aprontando, fazendo aquelas comidas maravilhosas, minhas tias todas ocupadas também e eu só esperando a hora de poder comer todas aquelas delícias. Mal sabia eu que a delícia que eu comeria seria outra.

Eu tenho uma tia que é apenas 3 anos mais velha que eu. Fomos criados juntos, como se fôssemos irmãos. Ela nunca foi uma criança muito bonita, mas isso mudou depois que ela cresceu. Ela havia se tornado uma morena espetacular. Cabelo preto bem grande, seios fartos, bunda redondinha e um jeitinho de safada que deixava qualquer marmanjo desconcertado. Família pronta, fomos para a casa de uma das minhas tias. Essa minha tia novinha e gostosinha já estava lá e não tinha quem não reparasse nela. Ela estava com um vestido preto bem justo, que realçava bastante aqueles peitões gigantes que ela tinha e deixava a bunda dela maior do que já era. Aquela mulher era um tesão, me deixava maluco, mas era a minha tia, então eu tinha que me controlar. Durante a ceia com a família, notei que ela me olhava bastante. Aquele olhar de quem quer algo, mas não sabe exatamente como pedir. Continuei comendo, olhando para ela e tentando disfarçar todo aquele tesão que ela me despertava. Depois da ceia, toda a família foi para a varanda, conversar, ver a queima de fogos e trocar presentes. Eu estava meio cansado e disse que ia para o quarto de um dos meus primos descansar.

Quando estava deitado na cama a porta abriu. E pra minha surpresa, era a minha tia gostosinha, que já estava de camisolinha, pois ela dormiria por ali aquela noite. Ela deitou na cama do lado e eu tentando disfarçar meu pau que já estava bem duro. Aquela camisola realçava bastante o corpo dela e ao mesmo tempo que ela demonstrava aquele jeito de menininha que só ela tinha, ela tinha um olhar de mulher safada e sedenta que me deixava maluco.

Enquanto estávamos lá, a família inteira estava na sala, sem ao menos se preocupar com a nossa existência. Isso me deixava ainda mais excitado, mas continuava me controlando, afinal, ela era a minha tia e eu precisava manter meus instintos masculinos guardados para mim.

Ela deitada na cama, me perguntou se eu estava com frio. Eu disse que sim e no mesmo instante ela se levantou e veio em minha direção. Trancou a porta e veio deitar do meu lado. Naquele momento, eu pude perceber toda a maldade dela.

  • Estou com frio também meu sobrinho lindo. A tia vai deitar aqui do seu ladinho, tá bom?

Ela se deitou do meu lado e eu senti o corpo dela se moldar ao meu. Ela colocou meu braço envolta do meu corpo e empinou bastante a bunda, roçando ela no meu pau, que aquela altura do campeonato já não dava mais pra tentar disfarçar. Nesse momento, ela começou a dar leves reboladas, estava gostando de sentir meu pau duro encostando na sua bunda.

  • Tia, sou homem, se você continuar deitada assim, não vou conseguir controlar meu pau, ele vai ficar duro.
  • Nossa, que delicia.

E nisso, ela pegou minha mão e levou em direção a bucetinha dela que já estava toda molhadinha. Coloquei minha mão por dentro da calcinha dela e comecei a sentir aquela buceta bem molhada, enfiei o dedo e aquela safada estava se contorcendo de tesão. Passou a mão dentro da minha cueca e começou a alisar meu pau de um jeito bem safado e gostoso. Fui tirando a calcinha dela e esfregando meu pau naquela bunda maravilhosa, enquanto apertava aqueles peitos gostosos. A danada começou a gemer baixinho. O medo de ser pego por alguém era grande, mas ao mesmo tempo tão excitante que não dava pra controlar. Enfiei meu pau na bucetinha dela, que não aguentou e soltou um pequeno grito. Eu estocava meu pau naquela gostosa e ela me pedindo mais.

Coloquei ela de quatro e aquela visão maravilhosa me deixava maluco. Como pode minha tia ser tão gostosa assim? Eu nunca havia comido uma mulher tão cheia de fogo como ela. Aposto que nem a garota de programa mais cara, faria algo parecido como ela. Ela rebolava tão gostoso no meu pau que por diversas vezes, eu esquecia que era Natal e a família inteira estava ali perto de nós. Poderíamos ser pegos e pensar nisso me deixava mais excitado e com mais vontade de fuder ela. Ficamos nesse sexo gostoso por mais ou menos uns 40 minutos. Depois que gozei muito na boquinha daquela gostosa, resolvi me levantar e ir fazer sala com os familiares. Ninguém desconfiado, todos entretidos com as luzes natalinas.

Metendo na tia durante a festa de natal

Nunca me esqueço daquele Natal. Depois disso, comi minha titia gostosa por diversas vezes ainda e hoje em dia, sempre que temos oportunidade, paramos pra relembrar aquele sexo gostoso que fazíamos com mais frequência. Com certeza, eu nunca tive um Natal tão gostoso, proibido e excitante como aquele. Valeu passar o risco de ser pego, só pra comer a minha tia gostosa.

O Spartano

Publicitário workholic, carnívoro desde que nasceu, curte a vida a La Rock’n’Roll, pai e marido (infiel), suspeita que tenha algum tipo de problema vinculado a sexo, acorda de pau duro, fica duro no trabalho num simples rebolar de sua secretária piriguete e dorme duro, pois sua esposa não dá pra ele de noite! Ainda assim acredita no amor, mas principalmente nas GPs que são a salvação da humanidade masculina em tempos onde a DR é mais importante do que o sexo.